Quem Somos /
Histórico

Histórico

O Centro de Educação Comunitária Rural (Cecor) é uma Organização Não Governamental de Utilidade Pública Municipal (Lei nº 1246/2010), sediada na cidade de Serra Talhada-PE.

A instituição foi fundada em 1992 por um grupo de agricultores (as) familiares e lideranças sindicais do Sertão de Pernambuco, e iniciou suas ações apenas em 1994, sendo hoje referência em desenvolvimento e implantação de experiências exitosas voltadas para a convivência com o Semiárido, tendo como base a Agroecologia.

A sua atuação baseia-se em três eixos: Convivência com o Semiárido, Acesso a Mercado, e Juventude Rural e Gênero.



VANETE ALMEIDA (in memoriam):


VANETE ALMEIDA

O CECOR tem como alicerce a força, dedicação e sementes lançadas pela MAIOR incentivadora desta Instituição: Vanete Almeida (in memoriam). Educadora popular e presidenta do Cecor até setembro de 2012, ano em que faleceu, Dona Vanete ou Netinha, como era chamada carinhosamente, dedicou sua vida trabalhando em prol da justiça social, tendo como princípio maior a implantação de políticas públicas viáveis para que os/as agricultores e agricultoras sobrevivessem no Semiárido brasileiro.

Uma rocha humana que, juntamente com o Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Sertão Central, iniciou uma luta ímpar em defesa do Riacho Olho d'Água, com a participação das famílias agricultoras das comunidades envolvidas. Seu trabalho com mulheres rurais teve início na década de 1980, quando saía de casa de madrugada e percorria 30 quilômetros de carona em caminhões com um único objetivo: conscientizar as mulheres dos seus direitos, quebrando séculos de repressão. Vanete deixou uma história de vida dedicada às causas sociais.

Ela inspirou o livro Ser Mulher num Mundo de Homens, de Cornélia Parisius e, a partir de 1996, tornou-se Coordenadora Internacional da Rede de Mulheres Rurais da América Latina e do Caribe (Rede LAC), que ajudou a fundar e foi ainda assessora da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape). De 1996 a 2003, integrou o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM); em 2005, foi indicada junto com outras 51 mulheres do Brasil ao Prêmio Nobel da Paz e em 2009 foi agraciada com o prêmio TRIP Transformador Social. Vanete Almeida faleceu no dia 09 de setembro de 2012.