Tecnologias de Convivência com o Semiárido

Cisterna-Calçadão

Capta a água de chuva por meio de um calçadão de cimento de 200 m², construído sobre o solo. Com essa área do calçadão, 300 mm de chuva são suficientes para encher a cisterna, que tem capacidade para 52 mil litros.

Por meio de canos, a chuva que cai no calçadão escoa para a cisterna, construída na parte mais baixa do terreno e próxima à área de produção. O calçadão também é usado para secagem de alguns grãos como feijão e milho, raspa de mandioca, entre outros. A água captada é utilizada para irrigar quintais produtivos, plantar fruteiras, hortaliças e plantas medicinais, e para criação de animais.

Veja o passo a passo da construção de uma cisterna-calçadão:

Barragem Subterrânea

É construída em áreas de baixios, córregos e riachos que se formam no inverno. Sua construção é feita escavando-se uma vala até a camada impermeável do solo, a rocha. Essa vala é forrada por uma lona de plástico e depois fechada novamente. Desta forma, cria-se uma barreira que “segura” a água da chuva que escorre por baixo da terra, deixando a área encharcada.

Para garantir água no período mais seco do ano são construídos poços a, aproximadamente, cinco metros de distância do barramento. O poço serve para retirar a água armazenada na barragem que pode ser utilizada para pequenas irrigações, possibilitando que as famílias produzam durante o ano inteiro. No inverno, é possível plantar culturas que necessitam de mais água, como o arroz e alguns tipos de capim. Dependendo do tipo de cultura implantada pode-se ter mais de uma colheita por ano.

Veja o passo a passo da construção de uma barragem subterrânea:

Tanque de Pedra

São fendas largas, barrocas ou buracos naturais, normalmente de granito, construídas em áreas de serra ou onde existem lajedos, que funcionam como área de captação da água de chuva. O volume de água.

Para aumentar a capacidade, são erguidas paredes de alvenaria, na parte mais baixa ou ao redor do caldeirão natural, que servem como barreira para acumular mais água. É uma tecnologia de uso comunitário. Em geral, cada tanque beneficia 10 famílias. A água armazenada é utilizada para o consumo dos animais, plantações e nos afazeres domésticos.

Bomba d'Água Popular (BAP)

Aproveita os poços tubulares desativados para extrair água subterrânea por meio de um equipamento manual, que contém uma roda volante. Quando girada, essa roda puxa grandes volumes de água, com pouco esforço físico. Pode ser instalada em poços de até 80 metros de profundidade. Nos poços de 40 m, chega a puxar até 1.000 litros de água em uma hora.

É uma tecnologia de uso comunitário, de baixo custo e fácil manuseio. Se bem cuidada, pode durar até 50 anos. A água da bomba tem vários usos: produzir alimentos, dar de beber aos animais e usar nos afazeres domésticos. Geralmente, cada bomba, beneficia 10 famílias.

Cisterna Enxurrada

A cisterna-enxurrada tem capacidade para acumular 52 mil litros e é construída dentro da terra, ficando somente a cobertura de forma cônica acima da superfície. O terreno é utilizado como área de captação. Quando chove, a água escorre pela terra e antes de cair para a cisterna passa por duas ou três pequenas caixas, uma seguida da outra, que são os decantadores.

Os canos instalados auxiliam o percurso da água que escoa para dentro do reservatório. Com a função de filtrar a areia e outros detritos que possam seguir junto com a água, os decantadores retêm esses resíduos para impedir o acúmulo no fundo da cisterna. A retirada da água da cisterna-enxurrada é feita por meio de uma bomba de repuxo manual. A água estocada serve para a criação de pequenos animais, cultivos de hortaliças e plantas medicinais e frutíferas.

Barreiro Trincheira

São tanques longos, estreitos e fundos escavados no solo. Partindo do conhecimento que as famílias têm da região, o barreiro-trincheira é construído em um terreno plano e próximo ao terreno da área de produção. Com capacidade para armazenar, no mínimo, 500 mil litros de água, o barreiro-trincheira tem a vantagem de ser estreito, o que diminui a ação de ventos e do sol sobre a água. Isso faz com que a evaporação seja menor e a água permaneça armazenada por mais tempo durante o período de estiagem.

A tecnologia armazena água da chuva para a dessedentação animal e para a produção de verduras e frutas que servirão à alimentação da família, garantindo a soberania e segurança alimentar. O excedente do que é produzido é comercializado e, assim, garante a geração de renda para as famílias agricultoras.

Barraginha

As barraginha têm entre dois e três metros de profundidade, com diâmetros que variam de 12 a 30 metros. É construída no formato de uma concha ou semicírculo. O reservatório armazena água da chuva por dois a três meses possibilitando que o solo permaneça úmido por um maior período. A recomendação é que sejam sucessivas. Assim, quando uma sangrar a água pode abastecer a seguinte. A umidade no entorno também é favorável ao plantio de milho, feijão, maxixe, melão, pepino e outras frutas, verduras e legumes.

A tecnologia dá condições para um manejo agroecológico das unidades produtivas familiares e mobiliza as famílias para uma ação coletiva. Também melhora a qualidade do solo por acumular matéria orgânica e mantém o microclima ao redor da barraginha mais agradável.

Cisterna de placas -16 mil litros

São reservatórios cilíndricos, construídos próximo à casa do agricultor (a), que armazenam água de chuva que cai no telhado e é captada por uma estrutura construída com calhas de zinco e canos de PVC. Esse tipo de cisterna pode ser construído com placas de cimento, anéis de concreto, tela e cimento, alambrado e outros materiais. Para dar mais resistência à estrutura, uma parte do reservatório fica enterrada. A água desse tipo de cisterna é utilizada para beber e cozinhar. Por isso é importante manter a tampa da cisterna sempre fechada, e a parte interna, a calha e os canos sempre limpos.

Casas ou bancos de sementes

São espaços reservados para guardar as sementes nativas (também conhecidas como crioulas, da paixão, da resistência, entre outros nomes), que garantem o plantio a cada ano para as famílias agricultoras ou comunidades. Para implantar a casa ou banco de sementes, é necessário reservar o lugar onde as sementes serão guardadas, buscar ajuda de outros grupos que já fazem o mesmo trabalho, adquirir silos de vários tamanhos, juntar garrafas de vidro e de plástico para guardar pequenas quantidades, criar regras para juntar e distribuir as sementes e definir o funcionamento e a organização do banco.

Quintal Produtivo

Também conhecido como quintal doméstico, o quintal produtivo é um exemplo de produção diversificada na propriedade. Localizado ao redor de casa, ele constitui em uma prática de cultivo e de criação de aves.

Unidades de Produção Agroecológica | Cultivo de Sequeiro

É um sistema de produção que busca imitar a natureza. Na agroflorestal existem muitos tipos de plantas, todas cultivadas numa mesma área, produzindo e resultando numa grande diversidade de produtos: frutas, grãos, flores, raízes, túberas, lenha, madeira e sementes. A implantação da agroflorestal é feita através das seguintes práticas: plantio consorciado denso, que é o cultivo diversificado de várias espécies, de tamanhos diferentes, que produzem o ano inteiro; capinas seletivas, que consistem na retirada do mato já florado; e poda, que ajuda a renovar as plantas, produzir matéria orgânica para melhorar o solo e abrir espaço para culturas anuais, como é o caso do milho, feijão, da fava, da macaxeira. A agroflorestal pode ser implantada em qualquer área onde é possível praticar agricultura, seja em terras empobrecidas, seja em áreas ladeiradas, desmatadas, em qualquer região do Semiárido brasileiro.

Os cultivos de sequeiro são aqueles que dependem da chuva. No Semiárido, brasileiro é muito comum o plantio do milho e do feijão junto com outras plantas, como jerimum, fava, macaxeira, gergelim, melancia. Para produzi-los em abundancia é importante cuidar bem da terra, não fazendo queimada nem desmatamento, não usando venenos, que intoxicam e adoecem as pessoas e contaminam a terra. Centenas de famílias agricultoras pararam de queimar a terra, deixando-a mais forte e com mais produção. Usam defensivos naturais feitos de plantas que afastam os insetos e evitam doenças. Essas famílias também se organizam para vender seus produtos nas comunidades, nas feiras agroecológicas e em outros espaços, gerando renda.

Viveiro de Mudas

O viveiro é um local adequado e previamente preparado para produção de mudas de boa qualidade. É fundamental para a multiplicação das espécies a serem produzidas, concentrando-as em uma área definida que apresenta as condições ideais para seu desenvolvimento na forma de mudas.