Revitalização do Riacho Olho D’Água

Histórico

O Riacho Olho D’Água nasce em Santa Cruz da Baixa Verde numa comunidade do mesmo nome, cortando três municípios pernambucanos: Santa Cruz da Baixa Verde, Serra Talhada e Calumbi, desembocando no Rio Pajeú, principal afluente do Rio São Francisco no Estado.

O trabalho de revitalização do RiachoOlho D’Água foi iniciado no ano de 2002, numa parceria entre o Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Sertão Central, o Centro de Educação Comunitária Rural (Cecor) e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santa Cruz da Baixa Verde.

Foi percebido que o riacho estava passando por um processo de destruição, devido a várias ações humanas, como a retirada da mata ciliar, despejo de lixo na água, lavagem de roupa nos poços, despejo de dejetos humanos e de animais, entre outros. Ao longo dos anos o riacho tinha sido usado para tudo, desde fonte de água para beber e cozinhar até depósito de lixo das famílias que moram na região. As águas estavam sujas e o riacho mal tratado, tornando a água imprópria para o uso, além disso, o riacho já dava sinais de esgotamento. A quantidade de água reduzia-se consideravelmente, tanto em volume quanto no tempo de permanência ao longo do ano.

Para evitar a morte do riacho, a comunidade resolveu se unir, sendo iniciada uma campanha de sensibilização acerca da necessidade de se preservar o meio ambiente, pois a morte do riacho dificultaria a vida das 27 famílias ali residentes, além de tornar sua recuperação mais difícil e de alto custo.





Nossa História

  • 1 - Visitas de sensibilização aos (as) moradores (as) residentes às margens do riacho;
  • 2 - Atividades educativas com crianças, jovens e adultos;
  • 3 - Realização de mutirões para retirada do lixo;
  • 4 - Instalação de lavanderias para evitar que roupas fossem lavadas dentro do riacho;
  • 5 -Articulação com a Prefeitura Municipal de Santa Cruz da Baixa Verde, agentes de saúde e professores (as);
  • 6 - Realização das campanhas: “Diga não à morte do Riacho Olho D’Água e “Diga Não à Morte dos Riachos: abrace você também essa causa”;
  • 7 - Desenvolvimento de Projeto de Extensão com a UFPE;
  • 8 - Realização de encontros de planejamento e avaliação das ações com representantes dos (as) moradores (as) do Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Sertão Central, STR’s de Santa Cruz da Baixa Verde, Calumbi e Serra Talhada, Cecor e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Comunidades cortadas pelo Riacho Olho D’Água

  • - Olho D’Água, Santana dos Guerra e Bom Sucesso (Santa Cruz da Baixa Verde);
  • - Bom Sucesso e Salgada (Serra Talhada);
  • - Bom Sucesso, Salgada e Riacho do Brejo (Calumbi)

Organizações envolvidas na revitalização do Riacho Olho D’Água:

Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Sertão Central (MMTR)

Iniciado em 1982, no Distrito de Caiçarinha da Penha, Serra Talhada. Sua área de atuação concentra-se em comunidades rurais de doze municípios do Sertão Central, e deu origem à organização de mulheres rurais do estado de Pernambuco, com forte presença e contribuição na construção da proposta no âmbito nacional.

Nos últimos anos cresceu a preocupação do Movimento com a preservação dos recursos hídricos na região. As mulheres tem desenvolvido ações em três níveis: formação, realização de oficinas e encontros sobre preservação e manejo de recursos hídricos; cuidado com a água de consumo doméstico, aquisição de instrumentos que facilitam a coleta e armazenamento da água; mobilização e articulação das comunidades rurais para preservar as fontes, cacimbas e riachos.

Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santa Cruz da Baixa Verde

O STR de Santa Cruz da Baixa Verde foi fundado em oito de julho de 1997. Anteriormente os trabalhadores eram atendidos por uma delegacia sindical vinculada ao STR de Triunfo, por ser distrito desse município. Em 1991 Santa Cruz foi emancipada e os trabalhadores e trabalhadoras rurais começaram a discutir a formação de um sindicato, pensando na conquista de direitos e maior autonomia.

A assembleia de fundação foi realizada na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, com a presença de mais de quatrocentos trabalhadores que elegeram uma diretoria provisória. Aos poucos o STR foi se estruturando e, entre outras atividades, priorizou o trabalho de conservação do solo e agroflorestal.

Centro de Educação Comunitária Rural – CECOR

Fundado em 1994 por um grupo de agricultores, agricultoras e lideranças sindicais do Sertão de Pernambuco, o Centro de Educação Comunitária Rural – CECOR, iniciou sua ação apenas 1994. Hoje é referência no desenvolvimento e implantação de experiências exitosas,voltada para a convivência com o Semiárido, tendo com base a Agroecologia, no estado de Pernambuco, atuando em três eixos: Convivência com o Semiárido, Acesso ao Mercado e Juventude Rural e Gênero. O Cecor é uma organização não governamental de Utilidade Pública Municipal (Lei nº 1246/2010), sediada na cidade de Serra Talhada-PE.